Tratamento Acústico através do Forro Mineral

Sua grande vantagem está no fato de serem removíveis e facilitarem o acesso e manutenção. 

forro-mineral-rocher-drywallOs forros minerais são elementos fibrosos e, por isso porosos e absorventes que possuem atenuação acústica e podem contribuir para o isolamento do ambiente. Estão presentes em órgãos públicos, teatros, cinemas, aeroportos, hotéis, prédios de escritórios entre outros edifícios comerciais.

A norma técnica NBR 9442/86 garante o tratamento acústico do material, além de resistência à umidade e ao fogo. O mercado oferece produtos resistentes a 90%, 95% ou 100% de umidade relativa do ar.

O forro mineral geralmente é utilizado em ambientes com sistema de ar-condicionado, não pode ser colocado diretamente sob o telhado e deve haver ventilação. Para que o material não empene os fabricantes indicam a aplicação de isolante térmico entre telhado e forro.

forro-mineral-rocher-drywall-bhO forro mineral é um produto de acabamento que normalmente não recebe retoque.

Sua fabricação é  a partir de minérios brutos que proporcionam qualidade construtiva insuperável, principalmente em relação a proteção contra o fogo e no tratamento acústico.

Possui também a opção de tratamento anti-bactericida e fungistático.

Conheça a linha de forro mineral da Rocher Drywall, entre em contato conosco!

 

rocher-drywall-bh-forro-mineral

rocher-drywall-forro-mineral

 

Fonte: Revista AU.

O que é Drywall?

blog-rocher-drywallO que é drywall? A expressão originada da língua inglesa que significa “muro seco” ou “parede seca”, é uma técnica de revestimento que substitui paredes e forros construídos em alvenaria.

Bastante popular em países da Europa, nos Estados Unidos, no Japão, entre outros, a tecnologia do material consiste em placas pré-moldadas, confeccionada por chapas compostas de camadas de enredados de aço galvanizado e de gesso.

No Brasil, apesar da popularidade do sistema em outros países que utilizam o drywall desde a década de 1970, a técnica começou a ser mais conhecida, difundida e aplicada somente em meados da década de 1990, em um primeiro momento apenas mediante importação do produto e, posteriormente, com a instalação de fábricas multinacionais no país.

O resultado deste método é uma estrutura resistente, porém leve, lisa, de fácil manuseio e instalação. Para efeitos de comparação, uma parede construída com alvenaria convencional pesa, em média, 150 kg aproximadamente. Já utilizando o drywall, a mesma parede pesaria cerca de 30 kg.

Mas os painéis de drywall não são apenas placas, como as divisórias comuns; a estrutura proporciona a instalação entre vigas e permite a passagem, em seu interior, dos sistemas hidráulicos e elétricos, como são feitos em paredes e tetos de alvenaria convencionais.

Além dessa aplicação, a técnica é muito usada como uma solução simples em reformas e outros projetos arquitetônicos de interiores, substituindo, perfeitamente, a construção dessas estruturas utilizando tijolos, concreto e demais materiais necessários.

A tecnologia é totalmente desenvolvida por empresas estrangeiras, inclusive no país. Mas, para que seja utilizada no Brasil, independente da origem de fabricação, o drywall precisa estar regularizado de acordo com algumas normas específicas para o segmento, estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

No país existem, ainda, entidades como a Associação Brasileira de Fabricantes de Chapas para Drywall e a Associação Drywall, que estão disponíveis para sanar dúvidas de profissionais e consumidores.

Portanto, antes de adquirir o produto é necessário obter mais informações sobre a procedência do drywall, bem como exigir certificação junto aos órgãos competentes.

Sem esquecer, ainda, da importância de contratar os serviços de profissionais que dominem as técnicas de manuseio e instalação da tecnologia. Isso vale tanto para engenheiro civis, arquitetos e pessoal para construção, como mestres de obras e pedreiros.

Para se ter uma idéia, da praticidade e diversidade de utilização do Drywall, imaginemos os móveis de uma residência ou escritório, quando trocamos de lugar, para propiciar um melhor aproveitamento de espaços, ou ainda quando estamos “cansados” daquele visual.

Com certeza o Drywall permite sua imaginação ir além, pois adequa movimentações de divisões de um ambiente, para um aproveitamento melhor de espaço ganhando em mais área útil, por ter espessuras menores que tijolos ou blocos. Tudo sem ocasionar as “sujeiras” (entulho) e morosidades de uma obra convencional constituída de tijolos ou blocos.

Enfim, os sistemas drywall são tendência no que diz respeito à inovação em construções civis. Pode ainda haver preconceitos em utilizar a tecnologia – por serem mais leves que as paredes de alvenaria causam a impressão de fragilidade.

Mas informações como estas descritas nesse site são importantíssimas para desmistificar a técnica e mostrar o quanto os sistemas drywall são sinônimo de modernidade, praticidade e durabilidade.

– Chapa Drywall Gypsum “ST” Standard p/ áreas internas secas

– Chapa Drywall Gypsum “RU” Resistente á umidade p/ áreas internas molháveis

– Chapa Drywall Gypsum “RF” Resistente ao fogo – p/ áreas que necessitam maior resistência ao fogo

Instalação de drywall em Belo Horizonte-MG é com a Rocher Drywall: consulte preços e prazos de instalação.

Parede Drywall

A parede drywall é constituída por uma estrutura de perfis de aço galvanizado na qual são parafusadas, em ambos os lados, chapas de gesso para drywall.

divisoria-de-drywall-em-bhA forma de montagem e os componentes utilizados permitem que a parede seja configurada para atender a diferentes níveis de desempenho, de acordo com as exigências ou necessidades de cada ambiente em termos mecânicos, acústicos, térmicos e de comportamento frente ao fogo.

Para isso, deve-se especificar:
a espessura dos perfis estruturais (48, 70 ou 90 mm);
o espaçamento entre os perfis verticais ou montantes (400 ou 600 mm, em paredes retas; em paredes curvas, o espaçamento é menor, variando em função do raio de curvatura);
se a estrutura é com montantes simples ou duplos e se estes são ligados ou separados;
o tipo de chapa (Standard = ST; Resistente à Umidade = RU; ou Resistente ao Fogo = RF),
a quantidade de chapas fixadas de cada lado (uma, duas ou três); e
o uso ou não de lã mineral ou de vidro no interior da parede.
Para a correta especificação, consultar a Tabela de Desempenho das Paredes Drywall.

Em caso de dúvida, clique aqui 

Tipos de Forros

O forro drywall é constituído por chapas de gesso para drywall parafusadas em estruturas formadas por perfis de aço galvanizado ou por peças metálicas.

Assim como nas paredes, a forma de montagem e os componentes utilizados permitem configurar o forro para as exigências ou necessidades de cada ambiente, podendo-se variar o número de chapas, as dimensões e a posição da estrutura e ainda o uso ou não de elementos de isolamento térmico ou acústico no seu interior.

forro-drywall-instalacao-em-belo-horizonteExistem quatro tipos de forros drywall: estruturado, perfurado, aramado e removível. Os três primeiros são fixos e proporcionam superfícies monolíticas, sendo executados com chapas com bordas longitudinais rebaixadas, que devem receber tratamento de juntas para uniformização da superfície. O último é executado com chapas com bordas quadradas ou tegulares.

Estruturado
É formado pelo parafusamento de uma ou mais chapas de gesso para drywall (com 1.200 mm de largura) em estruturas de aço galvanizado. A estrutura é suspensa por meio de pendurais. O pendural de uso mais freqüente é composto por um tirante (que é fixado na laje superior) e um suporte nivelador. Há também pendurais compostos de perfis ou fitas metálicas.
O perímetro do forro pode ser executado com cantoneira, no caso de forro estanque, ou tabica, no caso de forro dilatado. Também é possível executar outros detalhes de dilatação perimetral ou no meio do pano do forro.

Perfurado
É uma variante do forro estruturado, porém com o uso de chapas perfuradas, que auxiliam na absorção sonora, que pode ser acentuada com o uso de lã mineral ou de vidro no entreforro (plenum do forro).

Aramado
É formado pela justaposição de chapas de gesso com 600 mm de largura unidas por meio de junções H. É suspenso por arame de aço galvanizado no 18 (1,24 mm de diâmetro). A estruturação é completada com nervuras de chapas de gesso. O perímetro do forro aramado pode ser estanque ou dilatado.

Removível
Formado pela sobreposição de chapas de gesso em perfis do tipo T. A dimensão das chapas varia de acordo com a modulação da estrutura. O forro é composto por uma só camada de chapas, que podem ser removidas para acesso às instalações do plenum.

Para a correta especificação, consultar as Tabelas de Desempenho de Forros Drywall.

Em caso de dúvida, clique aqui para enviar sua consulta à Comissão Técnica da Associação Drywall.