Sistema Drywall – Construção seca, limpa e econômica


Drywall é uma expressão em inglês que significa “parede seca”, ou seja, que não necessita de argamassa para sua construção, como ocorre na alvenaria. A parede drywall é composta por uma estrutura rígida formada por perfis de aço, nos quais são parafusadas as chapas de gesso especiais para esse sistema.

A parede construída com chapas de drywall é oca, e por seu interior passam as instalações que compõem a infra-estrutura de funcionamento do ambiente, como a fiação elétrica, sistemas hidráulicos, de telefonia entre outras. Além disso, as chapas de drywall servem para dividir ambientes internos e são bastante utilizadas como forro e revestimento.

As vantagens da tecnologia drywall são inúmeras quando comparada ao sistema convencional, sendo a principal delas a rapidez de execução, leveza, nível de conforto acústico e resistência ao fogo. Combinadas com aplicação de lã mineral, as placas drywall oferecem excepcional isolamento acústico. São consideradas atualmente como solução ideal para a construção de home theaters e de cinemas do tipo multiplex, por exemplo.

Reparos e manutenção em construções com drywall são outros diferenciais importantes oferecidos pelo sistema. Na necessidade de um reparo de vazamento, basta fazer um recorte na parede, retirando-se uma parte da chapa, suficiente para proporcionar acesso à parte interna da parede. Efetuado o reparo, fecha-se a parede encaixando-se o mesmo pedaço de chapa retirado para a abertura. Um trabalho rápido, limpo e seco sem a geração de entulhos. As exigências de manutenção em imóveis que já possuem drywall são infinitamente menores. Patologias bastante comuns em alvenaria convencional, como a ocorrência de trincas e fissuras, são drasticamente reduzidas com drywall, por ser mais resistente, absorvendo com maior facilidade as deformações da estrutura.

Apesar de sua leveza e versatilidade, a parede em drywall tem a mesma aparência das paredes tradicionais de alvenaria podendo receber diversos tipos de acabamento. Além disso, são resistentes a impactos e possibilitam a fixação de objetos e acessórios.
 
Vantagens para o Empreendedor
Vantagens para o Consumidor Final
 
Confirma o vídeo abaixo:

PORQUE USAR DRYWALL?

Porque usar Drywall? 14 vantagens para construir com Drywall:

A grande aceitação dos sistemas drywall deve-se a um amplo conjunto de vantagens, resumidas a seguir:

  1. Flexibilidade de projetos - Essa é uma vantagem especialmente importante para empreendimentos residenciais: por sua leveza e forma de instalação, as paredes e os forros em drywall podem ter posição variável dentro da unidade, possibilitando a personalização do layout, segundo o interesse de cada comprador.
  2. Leveza - As paredes e os forros são muito leves. Enquanto, por exemplo, uma parede de tijolos comuns com aproximadamente 10 cm de espessura pesa entre 155 e 165 kg/m2, uma parede em drywall de mesma espessura pesa menos de 25 kg/m2.
  3. Estabilidade - As paredes em drywall apresentam alto grau de estabilidade, podendo substituir sem problemas as paredes comuns de alvenaria convencional.
  4. Resistência a impactos - As paredes, os tetos e os revestimentos resistem aos impactos normais de uso do dia-a-dia.
  5. Menor espessura das paredes proporciona maior área útil - Esse tem sido um argumento adicional de vendas de imóveis residenciais e comerciais.
  6. Conforto climático - O gesso, matéria-prima das chapas para drywall, tem a propriedade natural de atuar como regulador do clima, mantendo o grau de umidade em equilíbrio: retira umidade do ar, quando esta está elevada; e a devolve, quando o ar está seco. Isso atenua as variações da umidade relativa do ar.
  7. Conforto térmico - O uso de lã mineral ou de vidro no interior de paredes, tetos e revestimentos promove conforto térmico entre os ambientes.
  8. Resistência à umidade - Há chapas especiais para ambientes úmidos (cozinhas, banheiros, áreas de serviço, etc.), impregnadas com um hidrofugante. Essas chapas têm cor verde, diferenciando-se assim das comuns.
  9. Conforto acústico - Uma parede drywall apresenta desempenho acústico superior ao de uma parede de tijolos maciços de mesma espessura. Se tiver isolamento com lã mineral, seu desempenho será superior a qualquer tipo equivalente de paredes de alvenaria (tijolos, blocos cerâmicos, blocos de silício-calcário e de concreto comum ou celular).
  10. Resistência ao fogo - O gesso proporciona elevada proteção contra incêndios. Por isso, é recomendado o revestimento com chapas para drywall de vigas, colunas, pilares e dutos elétricos de ventilação. Uma parede drywall, dependendo de sua configuração, podem ter resistência ao fogo de até 240 minutos.
  11. Rápida execução - A simplicidade de execução é um dos grandes diferenciais do sistema. Uma parede pode ser instalada em muito menos tempo (apenas algumas horas) do que uma parede executada em sistemas convencionais.
  12. Execução simplificada de instalações elétricas e hidráulicas - Ao contrário do que ocorre com a construção em alvenaria convencional, não é necessário quebrar paredes para a execução de reparos ou ampliações em redes elétricas ou hidráulicas. No caso de vazamento, por exemplo, basta recortar a chapa de gesso e, após o reparo, recompor o chapeamento.
  13. Qualidade de acabamento - As paredes, os revestimentos e os tetos apresentam nivelamento superficial, o que permite que, imediatamente após a sua instalação, recebam pintura ou outro tipo de acabamento.
  14. Ausência de resíduos e desperdícios - A construção é mais limpa, reduzindo drasticamente o entulho. A isso ainda se soma a menor necessidade de movimentação de materiais dentro da obra. E o entulho gerado é totalmente reciclável.

Todo esse conjunto de vantagens ainda contribui para tornar as obras mais econômicas.

Para o construtor e empreendedor:

  • Redução do volume de material transportado vertical e horizontalmente na obra;
  • Facilidade nas instalações evitando quebras em função dos vazios;
  • Mínimo desperdício e retrabalho;
  • Flexibilidade nos lay-outs;
  • Redução de mão-de-obra;
  • Menor espessura com ganho de área útil;
  • Redução de peso tornando a construção mais leve;
  • Redução no cronograma e dos custos financeiros da obra.

Para o consumidor final:

  • Possibilidade de reforma em poucas horas sem movimentação de grandes volumes de materiais e mão-de-obra;
  • Flexibilidade na definição do lay-out;
  • Facilidade na manutenção nas instalações hidráulicas, elétricas e repintura;
  • Melhor desempenho acústico quando comparado com os sistemas tradicionais;
  • Soluções para fixação de qualquer tipo de objeto nas paredes e forros.

Parede DRYWALL

A parede drywall é constituída por uma estrutura de perfis de aço galvanizado na qual são parafusadas, em ambos os lados, chapas de gesso para drywall.

A forma de montagem e os componentes utilizados permitem que a parede seja configurada para atender a diferentes níveis de desempenho, de acordo com as exigências ou necessidades de cada ambiente em termos mecânicos, acústicos, térmicos e de comportamento frente ao fogo.

Para isso, deve-se especificar:

  • a espessura dos perfis estruturais (48, 70 ou 90 mm);
  • o espaçamento entre os perfis verticais ou montantes (400 ou 600 mm, em paredes retas; em paredes curvas, o espaçamento é menor, variando em função do raio de curvatura);
  • se a estrutura é com montantes simples ou duplos e se estes são ligados ou separados;
  • o tipo de chapa (Standard = ST; Resistente à Umidade = RU; ou Resistente ao Fogo = RF),
  • a quantidade de chapas fixadas de cada lado (uma, duas ou três);
  • o uso ou não de lã mineral ou de vidro no interior da parede.

Observações:

Em paredes resistentes ao fogo, especificadas para resistir 60 minutos ou mais à ação das chamas, recomenda-se a fixação, de ambos os lados, de chapas RF com 15 mm de espessura.
Em paredes com exigência de isolamento sonoro, deve-se aplicar a banda acústica nos perfis estruturais em contato com o perímetro.

TIPO DE PLACAS ANTI FOGO E ÁREAS ÚMIDAS:

O Que é Gesso Acartonado?

As placas de gesso acartonado, são compostas por um miolo de gesso e aditivos, envolto por cartão especial. A soma destes elementos, resistentes a esforços de compressão, o gesso, e tração, o cartão, resultam em uma superfície de revestimento ideal para acabamento, a qual pode-se pregar, aparafusar, serrar e trabalhar para confecção de infinitas formas, inclusive superfícies curvas.

As placas podem ter diferentes espessuras, larguras, comprimento e 3 tipos, para finalidades diferentes.

 

ARTIGO

Sistema drywall atende à Norma de Desempenho

Autor:Eng. Luiz Antonio Martins Filho

22/09/2010

A tecnologia construtiva drywall cumpre todos os requisitos de acústica, resistência mecânica e comportamento ao fogo expressos na Norma de Desempenho de Edificações (ABNT NBR 15575), em vigor desde 12 de maio. Essa norma traz um avanço: determina os índices de desempenho mínimo, intermediário e superior dos sistemas construtivos e seus componentes ao longo de sua vida útil, enquanto as normas anteriores apenas prescreviam as características de cada material. Esse novo conceito coloca o drywall em vantagem, ?devido à sua modernidade?, afirma o Eng. Luiz Antonio Martins Filho, gerente executivo da Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall.

Martins explica que o drywall foi criado há mais de um século nos Estados Unidos e passou a ser utilizado regularmente há mais de 80 anos na Europa: ?Com isso, estava plenamente desenvolvido em termos tecnológicos ao chegar ao Brasil, ainda na década de 1970, e principalmente a partir de meados dos anos 1990, quando teve seu uso intensificado no país. Apenas foi necessário adaptá-lo à nossa realidade por meio da elaboração de normas técnicas e ensaios locais, processo já concluído com êxito?. E completa: ?No Brasil, o drywall é o único sistema construtivo para vedações internas (paredes, forros e revestimentos) totalmente embasado em normas técnicas, o que o diferencia das demais tecnologias empregadas com a mesma finalidade?.

Conformidade - O comportamento do sistema drywall em relação aos diferentes quesitos da Norma de Desempenho é explicado pelo consultor técnico da Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall, Carlos Roberto de Luca, que esclarece: ?Para que os desempenhos especificados sejam alcançados, deve ser obedecida a Norma de Projeto e Montagem desse sistema (ABNT NBR 15758), que oferece todas as orientações para a correta aplicação da tecnologia drywall em várias situações?. Alguns exemplos são apresentados a seguir.

Segurança estrutural - De acordo com ensaios realizados pelo IPT ? Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo, todas as paredes drywall especificadas na NBR 15758 (desde a mais simples, mostrada na figura 1, com 73 mm de espessura, composta por estrutura com perfis de 48 mm de largura e uma chapa para drywall com 12,5 mm de cada lado) atendem a Norma de Desempenho no que diz respeito a: estabilidade e resistência estrutural; deslocamento e fissuração; solicitação de cargas provenientes de peças suspensas; impacto de corpo mole; impacto de corpo duro; e ações transmitidas por impactos nas portas.

Comportamento ao fogo - O Corpo de Bombeiros estabelece níveis de resistência ao fogo em 30, 60, 90 ou 120 minutos, dependendo do tipo de edifício e da utilização de cada espaço interno. Uma parede com 73 mm de espessura, como a mostrada na figura 1, se enquadra na categoria CF 30 (ou seja, corta-fogo 30 minutos). Já uma parede como a mostrada na figura 2 está na categoria CF 60 (corta-fogo 60 minutos). Essas duas paredes atendem a praticamente a totalidade das paredes residenciais. Paredes com resistência a 120 minutos, como a mostrada na figura 4, são montadas com estrutura de 70 mm e duas chapas resistentes ao fogo (com 15 mm de espessura) de cada lado.

Drywall: solução para reformas e construções
Com preço mais acessível, o sistema apresenta crescimento no mercado brasileiro

As reformas internas vêm sendo tratadas de maneira diferente nos últimos anos. O longo prazo e o desconforto ocasionado durante as obras de alvenaria são solucionados com a tecnologia Drywall, um sistema de paredes e forros, constituído de uma estrutura leve em perfis de aço galvanizado formado por guias e montantes, sobre os quais são fixadas placas de gesso acartonado, em uma ou mais camadas, gerando uma superfície apta a receber o acabamento final: pintura, papel de parede, cerâmica, pastilhas. Apenas há uma década no mercado brasileiro, a procura pelo sistema drywall está crescendo em função da praticidade de instalação e da redução do preço do material. “Hoje o drywall é uma realidade. Quando falamos em reformas internas, a recomendação dos profissionais é de usar o drywall, que é utilizado há mais de 50 anos na Europa”, explica o diretor da Casa do Gesso Wall Center, Astolpho Macedo Souza Neto, que distribui o sistema Drywall Lafarge Gypsum, empresa francesa líder mundial em materiais de construção, em lojas em Curitiba, Londrina e Florianópolis. O diretor ressalta que o sistema recebe o mesmo tratamento de acabamento de alvenaria convencional. Entretanto, por se tratar de uma construção seca, o sistema drywall não gera perdas e o desconforto da alvenaria convencional. Outra vantagem é que a facilidade de instalação reduz o tempo de execução da obra e os custos de mão-de-obra. Chapas especiais Para Souza Neto, o grande sucesso do sistema drywall está relacionado à possibilidade de permitir a realização de todos os detalhes arquitetônicos. Nos ambientes que recebem muita umidade, como banheiro, área de serviço e cozinha, a tecnologia drywall possui chapas próprias para evitar a umidade. Apesar de não propagar chama, o drywall oferece chapas específicas para combate a incêndio.

Vantagens do Drywall:
* Melhora significativa da performance termo acústica com a incorporação de Lã de Rocha ou Lã de Vidro, quando necessário. * As paredes podem ter qualquer forma e podem receber qualquer tipo de acabamento; * Menor espessura das paredes proporciona ganho de área útil; * As paredes são muito leves, diminuindo a carga da estrutura, o que permite a utilização de estruturas mais esbeltas, com redução e supressão de alguns elementos, como vigas sob as paredes; * A facilidade de instalação reduz o tempo de execução da obra e os custos de mão-de-obra; * Evita perdas e o desconforto da alvenaria convencional por ser uma construção seca;

Faça Seu Orçamento Agora!

ISOLAMENTO TERMO-ACÚSTICO

NOÇÕES DE ISOLAMENTO ACÚSTICO E ABSORÇÃO SONORA

O ISOLAMENTO ACÚSTICO refere-se a capacidade de certos materiais formarem uma barreira, impedindo que a onda sonora (ou ruído) passe de um recinto a outro. Nestes casos se deseja impedir que o ruído alcance o homem. Normalmente são utilizados materiais densos (pesados) como por exemplo concreto, aço, vidro, chumbo, etc..

A ABSORÇÃO ACÚSTICA trata do fenômeno que minimiza a reflexão das ondas sonoras num mesmo ambiente. Ou seja, diminui ou elimina o nível de reverberação (que é uma variação do eco) num mesmo ambiente. Nestes casos se deseja, além de diminuir os Níveis de pressão Sonora do recinto, melhorar o nível de inteligibilidade. Contrariamente aos materiais de isolamento, estes são materiais leves (baixa densidade), fibrosos ou de poros abertos, como por ex: espumas poliéster de células abertas, fibras cerâmicas e de vidro, tecidos, carpetes, etc.

Praticamente todos os materiais existentes no mercado ou isolam ou absorvem ondas sonoras, embora com diferente eficácia. Aquele material que tem grande poder de isolamento acústico quase não tem poder de absorção acústica, e vice-versa. Alguns outros materiais têm baixo poder de isolamento acústico e também baixo poder de absorção acústica (como plásticos leves e impermeáveis), pois são de baixa densidade e não tem poros abertos. Espumas de poliestireno (expandido ou extrudado) tem excelentes características de isolamento térmico, porém não são recomendados em acústica. A cortiça (muito utilizada no passado) já não apresenta os resultados acústicos desejados pelo consumidor da atualidade, e também apresenta problemas de higiene e deterioração (é um produto orgânico que se deteriora muito facilmente).

A indústria tem desenvolvido novos materiais com coeficientes de isolamento acústico e/ou de absorção muito mais eficientes que os materiais até então considerados "acústicos". Desta maneira tem sido possível se obter, mediante variações de sua composição, resultados acústicos satisfatórios que atendam as necessidades do usuário.

Cada recinto, conforme sua utilização, requer critérios bem definidos de Níveis de Pressão Sonora e de reverberação para permitir o conforto acústico e/ou eliminar as condições nocivas a saúde. Níveis de Pressão Sonora muito baixos podem tornar o recinto monótono e cansativo, induzindo as pessoas às condições de inatividade e sonolência.

Normalmente um bom projeto acústico prevê o isolamento e a absorção acústica utilizadas com critérios bem definidos, objetivando a melhor eficácia no resultado final. Para isto, deve-se levar em consideração o desempenho acústico dos materiais a serem aplicados, sua fixação, posição relativa a fonte de ruído e facilidade de manutenção, sem restringir a funcionalidade do recinto.

A aplicação de um material acústico, fornecido ou utilizado sem critérios rígidos de projeto, não significa a solução do problema.

Eng. João Afonso Abel Jankovitz

Chama-se isolante térmico um material ou estrutura que dificulta a dissipação de calor, usado na construção e caracterizado por sua alta resistência térmica. Estabelece uma barreira à passagem do calor entre dois meios que naturalmente tenderiam rapidamente a igualarem suas temperaturas.
O melhor isolante térmico é o vácuo, mas devido à grande dificuldade para obter-se e manter condições de vácuo, é empregado em muito poucas ocasiões, limitadas em escala. Na prática se utiliza ar, que graças a sua baixa condutividade térmica e um baixo coeficiente de absorção da radiação, constitui um elemento muito resistente à passagem de calor. Entretanto, o fenômeno de convecção que se origina nas câmaras de ar aumenta sensivelmente sua capacidade de transferência térmica. Além disso o ar deve estar seco, sem umidade, o que é difícil de conseguir nas câmaras de ar.
Por estas razões são utilizados como isolamento térmico materiais porosos ou fibrosos, capazes de imobilizar o ar seco e confiná-lo no interior de células mais ou menos estanques. Ainda que na maioria dos casos o gás enclausurado seja ar comum, em isolantes de células fechadas (formados por bolhas não comunicantes entre si, como no caso do poliuretano projetado), o gás utilizado como agente espumante é o que fica finalmente enclausurado. Também é possível utilizar outras combinações de gases distintas, mas seu emprego é muito pouco extenso.
Há vários tipos de materiais sólidos que podem ser bons isolantes, isso depende da utilidade dada, a temperatura de trabalho, ao local de instalação entre outros. Podem-se utilizar como isolantes térmicos: lã de rocha, fibra de vidro, hidrossilicato de cálcio, manta de fibra cerâmica, perlita expandida, vidro celular, poliestireno expandido, poliestireno extrudado, espuma de poliuretano, aglomerados de cortiça, etc.

Faça Seu Orçamento Agora!

REFORMAS

Revestimento em drywall: praticidade e conforto garantidos

Os revestimentos em drywall podem ser utilizados para dar acabamento em uma parede de alvenaria, bruta ou em mal estado, ou para melhorar os índices de vedações térmica ou acústica. A Placo fabrica revestimentos em drywall adequados para aplicações em duas maneiras:

- placas de gesso parafusadas numa estrutura de aço galvanizado;
- placas de gesso coladas direto sobre a alvenaria, utilizando massa adesiva MAP.

Após sua montagem, recebe tratamento das juntas com massa específica e o acabamento final desejado. O revestimento de drywall pode receber qualquer tipo de acabamento, como pintura, mármore, cerâmica, além de resultar em superfícies planas, lisas e sem juntas aparentes.

Quando parafusados em estrutura de aço, os revestimentos Placo permitem que seja utilizada lã de vidro entre a placa de gesso e a alvenaria, o que garante ao ambiente excelente conforto acústico e térmico. Os revestimentos em drywall também contribuem para regular e estabilizar a temperatura, em virtude das propriedades da placa de gesso. O ambiente fica fresquinho no verão e quentinho no inverno.

Faça Seu Orçamento Agora!

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Acabamento Drywall

Como proceder na correção de fissuras no tratamento das juntas?
As trincas podem surgir em função da má execução das juntas ou em decorrência da movimentação da estrutura do edifício (variações térmicas ou mecânicas). Quanto à ação corretiva trata-se de um processo cuidadoso de remoção da junta existente (massa seca e fita). Remover o máximo possível desses elementos, sem comprometer o cartão que reveste a placa de gesso. Após este processo, efetuar o processo de tratamento das juntas. Após secagem lixar e repintar. OBS. Fissuras podem ocorrer, sobretudo, pelo uso de gesso em pó no tratamento das juntas.

O que é tratamento de juntas?
As juntas entre placas são parte integrante de uma instalação em drywall. Portanto, o tratamento é a maneira que se realiza uma junta. Elas devem ser consistentes para assegurar ao longo da vida útil do edifício a continuidade mecânica entre as placas, como uma superfície única e sem fissuras. Elas contribuem também para uma melhor proteção ao fogo e para o isolamento acústico.

Quais os cuidados necessários ao aplicar cerâmica sobre uma placa de gesso?
Os procedimentos são os mesmos utilizados na aplicação de revestimento cerâmico em alvenarias convencionais, salvo a utilização de argamassas de assentamento flexível normalmente utilizado para áreas externas.

Quais os cuidados necessários ao aplicar laminado melamínico sobre uma placa de gesso?
É necessário redobrar a atenção com o nivelamento das juntas, reduzindo o espaçamento dos montantes para 400mm (no máximo) e não utilizar laminados com espessura inferior a 1,2mm.

Quais os tipos de acabamentos que podem ser efetuados sobre uma superfície em placa de gesso?
Tomando os cuidados necessários, todos os tipos de acabamento são compatíveis com as placas: pintura, azulejo, fórmica, mármore, madeira, laminados melamínicos, etc.

Qual o melhor procedimento para aplicação de pintura sobre as placas de gesso?
A pintura, em geral, é a última fase da execução de uma superfície com placas de gesso acartonado. Portanto, é ela que define a aparência final da superfície e se mal executada pode comprometer o resultado. Assim:

A - Verificar as condições da obra. Todas as juntas devem estar emassadas e as massas totalmente secas. Procede-se então ao lixamento, somente das áreas emassadas que são: as juntas de rebaixo, juntas de topo, juntas de contorno e cabeças dos parafusos, com lixas de grana 120 e 180 respectivamente, eliminando todas as rebarbas e todos os ressaltos ou ondulações salientes. Este lixamento deve ser executado com a lixa sobre um taco de madeira formando uma superfície plana de lixamento ao invés dos dedos das mãos cujas superfícies ficam irregulares. Não executar a pintura direta sobre a superfície rejuntada sem antes executar o lixamento acima.

B - Após eliminar as saliências, procede-se ao emassamento com massa corrida à base de PVA, em toda a superfície com passadas extensas. Essa massa deve cobrir qualquer ondulação reentrante e ao mesmo tempo igualar a superfície do cartão e das massas, uniformizando a textura e a cor dos dois elementos.

C - Após a secagem lixa-se a superfície total fazendo uma nova correção de eventuais defeitos.

D - Sempre a cada novo emassamento e secagem, novo lixamento.

E - A superfície está pronta para receber a pintura (látex, acrílico, etc.). Normalmente com duas demãos de tinta, conclui-se o trabalho. Esta operação vai depender do poder de recobrimento da tinta utilizada.

Obs.: Tintas ou massas texturizadas só devem ser aplicadas diretamente sobre a superfície rejuntada (sem massa corrida), após teste em loco.

Elementos estruturais, de fixação e acabamentos Drywall

O que são elementos de acabamento do sistema construtivo em drywall?
São massas para juntas, fitas, cantoneiras, etc., utilizadas no processo de rejuntamento das placas ou para acabamentos generalizados, na construção ou manutenção de uma parede, de um forro ou de um revestimento em gesso.

O que são elementos de fixação do sistema construtivo em drywall?
São parafusos, apoios, suportes, suspensões e presilhas que permitem a construção dos sistemas.

O que são elementos estruturais do sistema construtivo em drywall?
São perfis de aço galvanizado, com tratamento do tipo B (260gr/m2) que, em conjunto com as placas permitem a construção de paredes, forros e revestimentos. Podem ser guias, montantes, cantoneiras ou rodapés.

Forros monolíticos em drywall

Como é feito o encontro do forro monolítico em gesso com as paredes?
Pode-se realizar o simples enfitamento e emassamento da junta, quando os materiais de acabamento da parede e do forro forem compatíveis. Caso contrário ou caso deseje-se um friso entre a parede e o forro, perfis metálicos apropriados podem realizar a função de “tabica” (nome comum deste friso).

Como realizar o retorno do ar-condicionado nos forros monolíticos de gesso?
Tabicas metálicas perfuradas aplicadas no contorno do forro possibilitam o retorno do ar-condicionado.

É possível instalar luminárias nos forros de gesso?
Aberturas em geral são possíveis de serem executadas. Porém, no caso das luminárias ou de qualquer outro elemento a ser instalado do nível do forro, é indispensável que este equipamento tenha sua fixação própria efetuada na laje ou em outra estrutura. Portanto, jamais instalar luminárias na estrutura do forro que foi projetado somente para sua própria sustentação.

Os forros em gesso podem atender a necessidade de formas curvas ou de abóbadas?
Sim. Providenciando uma estrutura corretamente calandrada (encurvada) e cortes específicos nas placas, é possível a execução de curvas com raio mínimo de 1,20m.

Qual a aparência dos forros em gesso?
Os forros monolíticos têm a aparência de uma laje plana.

Qual a distância mínima que o forro pode ser instalado em relação à laje? E a máxima?
O plenum mínimo para montagem com o sistema convencional é de 15 cm. Utilizando o sistema corretamente e tirantes de qualidade, praticamente não existe um limite para a distância máxima.

Qual é, em média, o peso por metro quadrado dos forros em gesso?
O peso médio por metro quadrado é de 12 kg.

Forros removíveis Drywall

Como podem ser caracterizados os forros removíveis?
Eles podem ser caracterizados pela dimensão da placa, espessura, peso, tipo de borda, variação dos acabamentos como textura, perfuração, fissura e tonalidade. Apresentam índices de absorção e atenuação acústica além de condutividade térmica, resistência à umidade, resistência ao fogo, propagação de chamas e geração de fumaça e reflectância luminosa.

O que é absorção acústica?
É a capacidade dos materiais ou do ambiente de absorver o som direto ou indireto.

O que é o CAC - Coeficiente de Atenuação Acústica?
É a medida de redução de transmissão do som entre um ambiente e outro através do plenum (área entre o forro e a cobertura) de acordo com a ASTM E 1414, além da redução de decibéis (perda na transmissão) obtida nas 16 frequências em relação a uma curva de referência e em acordo com a ASTM E 413. Performance Acústica é classificada pelo UL, Underwriters Laboratories Inc.

O que é o Coeficiente de Condutividade Térmica – K?
O coeficiente K quantifica a capacidade do material de ser atravessado por um fluxo de calor induzido por uma diferença de temperatura entre dois ambientes. Define-se como sendo “o fluxo de calor que atravessa, a unidade de tempo, a unidade de área do elemento constituído do material, quando se estabelece uma diferença unitária de temperatura entre o ar confinante com suas faces opostas”. Unidade de medida: W/m.K

O que é o NRC - Coeficiente de Reducão Sonora?
É a medida do som absorvido por um determinado material. A designação numérica representa a média dos coeficientes de absorção dos materiais em 250Hz, 500Hz, 1000Hz e 2000Hz, arredondando a 0,05 decimais quando testado de acordo com a ASTM C 423. Performance Acústica é classificada pelo UL, Underwriters Laboratories Inc.

O que é plenum?
Distância entre o forro e a cobertura (laje, telhado, etc).

O que é Propagação de Chamas / Geração de Fumaça?
Índice de capacidade do material de propagar fogo em condições de teste, definido por normas. Os procedimentos do teste são freqüentemente conhecidos como o método de teste do túnel.

O que é Reflectância Luminosa – LR?
É o percentual de luz refletida pela superfície do forro, de acordo com normas.

O que é reflexão acústica?
É a capacidade dos materiais ou do ambiente de refletir o som direto ou indireto, causando reverberação.

O que é Resistência à Umidade – RH?
É a medida obtida no ponto de contato direto ou na presença de água parada. Painéis com alta resistência à umidade são menos sujeitos a deformação no ponto.

O que é reverberação?
É o efeito que dificulta a compreensão do som, tornando-o ininteligível.

O que é um forro removível acústico?
É um sistema de vedação suspenso entre o ambiente e a sua cobertura (laje, telhado, etc) formado por placas modulares e sistema de perfis aparentes. As placas podem ser removidas permitindo o acesso para manutenção das instalações existentes no plenum como ar condicionado, elétrica, calefação, ventilação, sistema contra incêndio, som etc.

Quais são os tipos de forros removíveis comercializados pela Placo do Brasil?
A Placo comercializa forros removíveis em fibra mineral e em gesso.

Qual a função de um forro removível acústico?
Proporcionar acabamento com controle das condições acústicas, ou seja, a propagação do som dentro de um ambiente. O uso de um sistema de forro pode absorver ou isolar o som de um ambiente.

Forros removíveis em fibra mineral Drywall

Como a ASTM E 1264 classifica os produtos para forros acústicos?
A ASTM E 1264 classifica os produtos para forros acústicos conforme o tipo de material, o padrão superficial e o índice de propagação superficial de chama.

Como deve ser o armazenamento dos forros em fibra mineral?
Os forros de fibra mineral devem permanecer na embalagem original, em local seco e ventilado, protegido das intempéries (ações de sol e chuva), sobre estrado de madeira plano e nivelado.

Como deve ser o manuseio dos forros em fibra mineral?
Para um correto manuseio das placas de fibra mineral, lavar as mãos ou utilizar luvas limpas para não deixar resíduos na placa.

Como deve ser o transporte dos forros em fibra mineral?
O transporte do produto deve ser feito com cuidado, evitando choques ou atritos.

Como pode ser limpo o forro removível de fibra mineral?
Para simples remoção de pó usar escova de pêlos macios ou aspirador de pó. Em caso de remoção de pequenas manchas ou sujeira, use uma esponja levemente umedecida em água.

O que é um forro removível de fibra mineral?
É um forro produzido a partir de fibras minerais orgânicas e inorgânicas que resulta em diversos padrões de acabamento e diferentes características técnicas. Apresentam acabamento em pintura vinílica a base de látex na face aparente e recebem uma proteção de resina na face não aparente, aumentando a resistência à umidade sem fechar os poros da fibra.

Os forros removíveis de fibra mineral podem ser instalados em áreas externas, piscinas, saunas?
Não, a Placo não recomenda a utilização dos forros acústicos de fibra mineral para áreas externas, piscinas, saunas e chuveiros.

Os forros removíveis de fibra mineral podem ser pintados?
Sim. Alguns produtos podem ser pintados com tintas à base de látex. Devem ser aplicadas em finas camadas, evitando o fechamento das fissuras e perfurações dos painéis, para não comprometer a qualidade acústica e resistência ao fogo do produto.

Os forros removíveis em fibra mineral da Placo do Brasil contém asbestos?
Não. Os forros não são fabricados com asbestos.

Os forros removíveis em fibra mineral podem ser instalados abaixo de coberturas
metálicas ou de fibrocimento? O que é recomendado?

Não. É recomendado que nas edificações com cobertura de fibrocimento ou metálica seja utilizada uma manta de lã mineral ou isolante térmico protegendo as placas de fibra mineral das variações de temperatura e de umidade, proporcionando isolamento térmico no forro e no ambiente.

Quais são as principais recomendações para a instalação de um forro removível em fibra mineral?

A- Antes, durante e após a instalação dos forros, as áreas que os acondicionam devem ter umidade relativa do ar de até 90% e variação de temperatura entre 16ºC e 40ºC.

B- Os serviços de concretagem, acabamento, instalação de caixilhos, vidros e afins devem ser totalmente finalizados, secos e limpos antes da instalação do forro ou, no mínimo, ter a coordenação do responsável da obra para não ocorrer nenhum dano ao produto no momento da instalação.

C- Os sistemas de ar condicionado, calefação e ventilação devem estar em operação quando da instalação do forro, garantindo assim as condições necessárias de temperatura e umidade relativa do ar. Goteiras, vazamentos, vibrações, produtos químicos ou vapores danificam as placas do forro.

D- Recomendamos não utilizar a estrutura do forro para fixar grelhas de ar condicionado, luminárias e afins. O excesso de peso pode comprometer a estrutura do sistema instalado (placa e perfil).

Qual o distanciamento dos pendurais para instalação de um forro de fibra mineral?
Os pendurais devem ser instalados a cada 1,25m. Verificar corretamente o tipo de estrutura que deve ser necessário antes de começar a instalação.
Forros removíveis em gesso

Como pode ser limpo o forro removível em placas de gesso para drywall?
O forro pode ser limpo com escova de pelos macios e suaves ou pano úmido com detergente neutro

O que é um forro removível em placas de gesso para drywall?
É um forro formado por placas composta por um núcleo de gesso natural e aditivos, revestida com duas lâminas de cartão duplex. O acabamento da superfície aparente pode ser em pintura vinílica à base de látex garantindo uma superfície altamente reflexiva ou revestido com película de PVC, variando textura, perfuração, fissura e borda.

Os forros removíveis em placas de gesso para drywall podem ser instalados abaixo de coberturas metálicas ou de fibrocimento? O que é recomendado?
Não recomendamos a aplicação dos forros diretamente abaixo de coberturas metálicas ou fibrocimento sem isolamento térmico ou com ventilação prevista, justamente para não ocorrer a deformação do forro devido alterações de temperaturas emitidas pela cobertura.

Os forros removíveis em placas de gesso para drywall podem ser pintados?
Sim, desde que utilizado rolo de lã ou espuma, para não fechar as perfurações e fissuras das placas, perdendo assim as características acústicas.

Podem instalar os forros removíveis em placas de gesso para drywall para áreas externas?
Não, a Placo não recomenda a utilização dos forros de gesso para áreas externas.

Como pode ser limpo o forro removível de gesso?
O forro pode ser limpo com escova de pelos macios e suaves ou pano úmido com detergente neutro.

Como pode ser limpo o forro removível de gesso?
O forro pode ser limpo com escova de pelos macios e suaves ou pano úmido com detergente neutro.

O que é um forro removível de gesso?
É um forro formado por placas composta por um núcleo de gesso natural e aditivos, revestida com duas lâminas de cartão duplex. O acabamento da superfície aparente pode ser em pintura vinílica à base de látex garantindo uma superfície altamente reflexiva ou revestido com película de PVC, variando textura, perfuração, fissura e borda.

Os forros removíveis em gesso podem ser instalados abaixo de coberturas metálicas ou de fibrocimento? O que é recomendado?
Não recomendamos a aplicação dos forros diretamente abaixo de coberturas metálicas ou fibrocimento sem isolamento térmico ou com ventilação prevista, justamente para não ocorrer a deformação do forro devido alterações de temperaturas emitidas pela cobertura.

Os forros removíveis em gesso podem ser pintados?
Sim, desde que utilizado rolo de lã ou espuma, para não fechar as perfurações e fissuras das placas, perdendo assim as características acústicas.

Podem instalar os forros removíveis de gesso em áreas externas?
Não, a Placo não recomenda a utilização dos forros de gesso para áreas externas.

Qual o distanciamento dos pendurais para instalação do forro Gyptone®?
Os pendurais devem ser instalados a cada 1,00 m. Verificar corretamente o tipo de estrutura que deve ser necessário antes de começar a instalação.

Instalação e mão de obra Drywall

Existem cursos de formação de mão de obra Drywall?
Sim. Os fabricantes mantêm cursos regulares, além de Distribuidores e algumas organizações de ensino (SENAI). Visite nesta página a programação de cursos da Placo do Brasil.

O que é necessário para a montagem de sistemas construtivos em drywall?
É necessário que o instalador esteja munido de um kit básico de ferramentas para:

-Corte a acabamento das placas;
-Corte e fixação dos perfis metálicos;
-Posicionamento das placas;
-Fixação das placas à estrutura metálica;
-Tratamento das juntas entre placas;
-Marcação;
-Execução de aberturas circulares em placas.

Qualquer pessoa pode realizar a instalação de sistemas construtivos em drywall?
É recomendado que a instalação seja feita por profissionais especializados para um bom resultado e qualidade final da obra, de preferência por instaladores indicados pelos fabricantes. Visite nesta página a relação de Distribuidores e Instaladores que trabalham com produtos da Placo do Brasil.
Paredes em drywall

As paredes em drywall são resistentes a impactos?
Sim. As paredes são testadas em laboratórios para a análise do comportamento sob a ação de esforços mecânicos. Os resultados garantem resistência aos choques e impactos de uso, atendendo a mesma Norma NBR 1313 para divisórias leves internas moduladas e a critérios do IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas.

Como podem ser as paredes em drywall?
As paredes podem ser retas ou curvas, inclusive para áreas molhadas (banheiros, cozinhas, áreas de serviço, etc.), com possibilidade de instalações elétricas ou hidráulicas internamente. Com componentes internos, como lã mineral (lã de vidro ou lã de rocha), podem ter melhor performance térmica ou acústica.

É possível a instalação de portas em paredes de drywall?
Sim. Se o batente for fixado por parafusos, três reforços de madeira tratada devem ser inseridos nos montantes do requadro. Caso a fixação escolhida seja espuma de poliuretano basta dimensionar corretamente o vão para sua aplicação.

É possível a instalação de rede de descanso em paredes de drywall?
Sim. Utilizando dois perfis auxiliares com formato tubular para cada lado da rede, fixados adequadamente no piso e no teto e ligados por uma travessa horizontal soldada na altura da fixação da rede. Esta estrutura auxiliar fica embutida na parede com o gancho aparente.

É possível realizar reparos na instalação elétrica ou hidráulica de uma parede em drywall?
Sim. As instalações passam no espaço interno entre as placas de gesso e reparos podem ser facilmente realizados criando janelas de acesso, sem demolições completas das paredes ou inutilização de pisos. É uma operação relativamente simples sem muita sujeira e pouco entulho.

Paredes em drywall podem ser desmontadas e remontadas em outro lugar?
Com muito cuidado no desmonte, alguns perfis poderão ser reutilizados ao menos uma vez mais, porém o ideal é a instalação completa de um novo material.

Paredes em drywall podem ser instaladas sobre piso elevado?
Sim. Indica-se a utilização de banda acústica (fita de borracha) entre a guia inferior e o piso. Vale lembrar que as placas sobre as quais as paredes serão fixadas não mais serão passíveis de remoção para inspeção.

Paredes em drywall podem ser usadas como paredes externas?
Não. As paredes em drywall são recomendadas exclusivamente para uso interno.

Paredes em drywall proporcionam bom isolamento acústico?
Sim. O colchão de ar existente entre as placas de gesso amortece a transmissão de onda sonora. Por isso, o isolamento acústico é, no mínimo, igual ao de uma parede de tijolos. O isolamento acústico ainda pode ser ampliado introduzindo-se lã mineral (de vidro ou de rocha) no interior da parede.

Quais os procedimentos recomendados para fixação de cargas elevadas como um suporte de T.V., um microondas ou ainda um armário de cozinha?
Esses pontos devem receber reforços estruturais que podem ser em madeira (tratada) ou metálicos. É necessário abrir janelas entre os montantes para que os reforços possam ser fixados neles. Após o fechamento da abertura com o mesmo pedaço de placa retirado, procede-se o tratamento de juntas com fita e massa nas emendas das placas.

Qual a qualidade acústica das paredes em drywall?
A composição mais simples (uma placa + perfil + uma placa) tem seu isolamento acústico em 36dB, sendo que a simples utilização de uma lã mineral de 50mm de espessura no interior do sistema eleva esse índice para 42dB. A maior quantidade de placas na superfície da parede é diretamente proporcional ao seu índice de isolamento acústico, sendo utilizado até na divisão entre salas de cinema e espetáculos.

Qual é a composição básica de uma parede em drywall?
Basicamente uma parede pode ser composta por montantes metálicos verticais, encaixados em guias horizontais, no piso e no teto, onde são parafusadas as placas de gesso que receberão posteriormente o tratamento das juntas e o acabamento desejado.

Uma parede construída em drywall pode ser instalada sobre um piso acabado?
Sim. Neste caso é indicada a utilização de uma banda acústica (fita de borracha) entre a guia inferior e o piso.

Placas Drywall As placas de gesso podem ser utilizadas em áreas externas ou como elemento de fachadas dos edifícios?
Não. As características das placas em gesso permite o seu uso somente para áreas exclusivamente internas.

As placas de gesso podem ser utilizadas em áreas úmidas?
Sim. Para estas áreas existem as placas Resistentes à Umidade (RU), produzidas especialmente para este tipo de aplicação. Possuem na composição do gesso, aditivos especiais que as tornam mais resistentes aos vapores e aos fungos resultantes da ação da umidade. Para as áreas constantemente molhadas (ex. Box de chuveiros) é indispensável à impermeabilização. Deve ser realizado o tratamento da base da parede com rodapé de impermeabilização. Recomenda-se o uso de mantas asfálticas com 10 a 20 cm de altura ou a aplicação de uma junta elástica na junção da placa RU (Resistente à Umidade) com o piso, seguida de pintura cristalizante subindo mais ou menos 20 cm na parede.

O que é possível de ser construído utilizando placas de gesso?
A combinação das placas com os elementos estruturais e de acabamentos permite a construção de paredes, forros e revestimentos.

O que é uma placa de gesso?
É uma placa composta por um núcleo de gesso natural (CaSO4.2H2O) e aditivos, revestida com duas lâminas de cartão duplex, produzida industrialmente com um rigoroso controle de qualidade, para uso exclusivamente interno. O gesso proporciona a resistência à compressão e o cartão resistência à tração. A união destes dois elementos torna a placa muito resistente. Variam conforme tipo de placa, tipo de borda, espessura, dimensão e peso.

Quais as dimensões das placas de disponíveis no mercado?
Os fabricantes podem ter diferentes alternativas de dimensões. Porém normalmente têm-se:

- Para paredes: placas com 1,20m de largura e comprimentos variando de 1,80m até 3,00m.

- Para forros: as placas citadas acima além das com larguras de 0,60m e comprimentos de 2,00m e 2,50m.

Quais as espessuras das placas de disponíveis no mercado?
Placas Standard (ST): 8,0mm 9,5mm, 12,5mm e 15,0mm de espessura.
Placas Resistentes ao Fogo (RF): 9,5mm, 12,5mm e 15,0 mm de espessura.
Placas Resistentes à Umidade (RU): 9,5mm, 12,5mm e 15,0mm de espessura.

Quais os tipos de borda para as placas de gesso existente no mercado?
Estão disponíveis as placas com Borda Rebaixada para tratamento de juntas e as placas de Borda Quadrada para uso em forros removíveis e divisórias.

Quais os tipos de placas de gesso existentes no mercado?
Estão disponíveis no mercado as placas Standard (ST), destinadas para áreas secas; as placas Resistentes ao Fogo (RF) destinadas a áreas com exigências especiais de resistência ao fogo e, as placas Resistentes à Umidade (RU) destinadas a ambientes sujeitos à ação da umidade, por tempo limitado (de forma intermitente).

Revestimentos em drywall

Quais tipos de revestimentos podem ser executados em gesso?

- Revestimento colado: Representa o revestimento de menor espessura, onde as placas de gesso são coladas com massa adesiva sobre a superfície a ser revestida, recebendo posteriormente o tratamento das juntas e acabamentos desejados.

-Revestimento estruturado: É o revestimento com perfis metálicos próximos ou encostados a superfície a ser revestida, recobertos com as placas de gesso parafusadas e recebendo posteriormente o tratamento convencional de juntas e acabamento desejado. Esse revestimento possibilita tanto o resultado visual desejado para o revestimento quanto à inserção de instalações específicas ou de lã mineral para melhorias térmicas e acústicas.

Um revestimento em gesso pode solucionar o meu problema de barulho proveniente da edificação ao lado?
Considerar que todo o problema de isolamento acústico será solucionado somente por este sistema é um engano. Contudo, o som aéreo poderá ser parcialmente suavizado com um revestimento estruturado que contenha lã mineral no seu interior. Índices maiores de isolamento podem ser atingidos com composições mais específicas (mais camadas de placas, alterações na estrutura ou lãs minerais mais densas).

Sistemas construtivos em drywall

A casa fica bonita com drywall?
Claro. A beleza do ambiente dependerá do projeto de arquitetura e do seu toque pessoal. A qualidade do acabamento é igual ou até superior à de uma parede convencional, porém o sistema é mais racional e extremamente versátil para a manutenção e futuras reformas.

A manutenção é mais fácil em drywall ou em paredes de alvenaria?
Em drywall, pela própria natureza da tecnologia. As instalações elétricas e hidráulicas passam pelo interior das paredes, agilizando o acesso. Os reparos são facilmente executados, sem "quebra-quebra" da parede ou do piso.

A tecnologia drywall já é utilizada no Brasil?
Sim, há mais de 10 anos, pelas melhores construtoras, nos mais modernos empreendimentos residencias e comerciais.

Drywall é resistente?
Totalmente. As estruturas metálicas são fabricadas em aço galvanizado para garantir a resistência do drywall aos impactos normais do dia-a-dia. O sistema é testado em laboratórios dentro dos mais rígidos critérios, para que o drywall suporte, com toda segurança, portas, armários, estantes etc.

Drywall é superior à alvenaria na questão do conforto térmico?
Sim. As propriedades das placas de gesso contribuem para regular e estabilizar a temperatura. Dessa forma, o ambiente fica fresquinho no verão e quentinho no inverno.

Drywall oferece bom isolamento acústico?
Sim. Por isso, o sistema é utilizado nas melhores casas de shows, salas de concerto, cinemas etc. A proteção sonora de uma parede em drywall é no mínimo igual à de alvenaria. Mas o drywall ainda permite composição de duas ou mais placas de gesso com lã mineral, para atender às mais exigentes especificações de isolamento acústico.

Drywall oferece mais economia que a parede de alvenaria?
Sim, pelo uso mais racional do dinheiro. Com o projeto em mãos, você faz o orçamento e sabe exatamente o quanto vai investir, evitando gastos extras. A execução é rápida, limpa e realizada por profissionais especializados, sem desperdício nem custos com remoção de entulho.

Drywall permite fixação de armários, estantes, quadros e suportes de TV?
Sim. Todo tipo de objeto pode ser fixado em drywall. As lojas especializadas vendem buchas do tipo expansivas ou basculantes, que são ancoradas direto na placa. Cozinhas e outras áreas que exigem armários mais pesados ou suporte de TV devem ser especificadas no projeto, para que a estrutura do sistema seja reforçada.

Drywall pode receber pintura, azulejo, papel de parede ou outro tipo de revestimento?
sim. Neste caso, o drywall funciona exatamente como uma parede convencional, com a vantagem de oferecer uma superfície lisa e já pronta para o acabamento.

Drywall pode ser utilizado em áreas úmidas como cozinha, banheiro e área de serviço?
Sim. Para essas áreas são especificadas as placas verdes, com proteção antifungo, resistentes à umidade. A impermeabilização deve seguir os procedimentos adotados como padrão para áreas úmidas em alvenaria.

É fácil personalizar um ambiente construído com drywall?
Sim, porque a praticidade é um dos maiores benefícios do drywall. Você pode ampliar a sala, construir o quarto do bebê, projetar o home theater, enfim, adaptar a casa de acordo com o seu momento de vida, com facilidade e economia.

O que é construção a seco?
Construção a seco é uma das terminologias utilizadas no mercado para denominar a construção em gesso. Trata-se de um processo industrializado na construção civil onde, a execução no canteiro de obra pouco ou quase nada utiliza de água, dando esta conotação de construção seca. Associa-se ao processo também o fato do canteiro ser mais limpo, com ausência da sujeira característica dos processos tradicionais, com muito barro, argamassa e entulho.

O que é Drywall?
Drywall é o sistema para cosntrução de paredes, forros e revestimentos mais utilizado na Europa e nos Estados Unidos. Por fora, parece uma parede de alvenaria. Por dentro, drywall é um show de tecnologia: combina estruturas de aço galvanizado com placas de gesso de alta resistência mecânica e acústica, produzidas com rigoroso padrão de qualidade.

Quais as vantagens para o construtor do sistema construtivo em drywall?
As vantagens para o construtor e/ou empreendedor devem ser analisadas sempre comparando o sistema com a alvenaria ou alternativas menos industrializadas. Apresentam:

-Redução do volume de material transportado, vertical e horizontalmente, na obra;
-Facilidade nas instalações hidráulicas e elétricas, evitando quebras em função dos vazios;
-Mínimo de desperdício e retrabalho;
-Flexibilidade nos lay outs;
-Economia com a mão de obra;
-Menor espessura de paredes e ganhos de área útil;
-Redução do peso da construção, tornando-a mais leve podendo ser otimizado os projetos estruturais;
-Redução do cronograma e dos custos financeiros da obra.

Quais as vantagens para o consumidor final do sistema construtivo em drywall?
As vantagens para consumidor final são:

-Possibilidade de reformas em poucas horas, sem movimentação de grandes volumes de materiais e mão de obra;
-Facilidade de manutenção nas instalações hidráulicas, elétricas e de repintura;
-Melhor desempenho acústico quando comparado com os sistemas tradicionais;
-Soluções para fixação de qualquer tipo de objeto nas paredes e forros.

Quando é possível utilizar um sistema construtivo em drywall?
O sistema pode ser utilizado em obras novas ou reformas e em qualquer tipo de uso: residencial, comercial, industrial, etc sempre em áreas internas.

A tecnologia do sistema permite o uso em:
Paredes: na substituição aos sistemas tradicionais como diversos tipos de alvenaria – tijolo comum, bloco de concreto, etc.

Forros: substituindo diversos materiais ou processos menos industrializados.
Revestimentos: como uma alternativa adicional para acabamentos de paredes brutas com possibilidades complementares.

Um imóvel construído com drywall é mais fácil de vender?
Sim.Além de todas as vantagens do sistema, a espessura das paredes em drywall é menor que a das paredes de alvenaria, ampliando a área útil do ambiente. E a mesma flexibilidade que você desfrutará em sua casa pode ser transferida para o futuro comprador do imóvel, garantindo mais liquidez ao investimento.

Faça Seu Orçamento Agora!