PORQUE USAR DRYWALL?
Porque usar Drywall?

A grande aceitação dos sistemas drywall deve-se a um amplo conjunto de vantagens, resumidas a seguir:

Flexibilidade de projetos - Essa é uma vantagem especialmente importante para empreendimentos residenciais: por sua leveza e forma de instalação, as paredes e os forros em drywall podem ter posição variável dentro da unidade, possibilitando a personalização do layout, segundo o interesse de cada comprador.

Leveza - As paredes e os forros são muito leves. Enquanto, por exemplo, uma parede de tijolos comuns com aproximadamente 10 cm de espessura pesa entre 155 e 165 kg/m2, uma parede em drywall de mesma espessura pesa menos de 25 kg/m2.

Estabilidade - As paredes em drywall apresentam alto grau de estabilidade, podendo substituir sem problemas as paredes comuns de alvenaria convencional.

Resistência a impactos - As paredes, os tetos e os revestimentos resistem aos impactos normais de uso do dia-a-dia.

Menor espessura das paredes proporciona maior área útil - Esse tem sido um argumento adicional de vendas de imóveis residenciais e comerciais.

Conforto climático - O gesso, matéria-prima das chapas para drywall, tem a propriedade natural de atuar como regulador do clima, mantendo o grau de umidade em equilíbrio: retira umidade do ar, quando esta está elevada; e a devolve, quando o ar está seco. Isso atenua as variações da umidade relativa do ar.

Conforto térmico - O uso de lã mineral ou de vidro no interior de paredes, tetos e revestimentos promove conforto térmico entre os ambientes.

Resistência à umidade - Há chapas especiais para ambientes úmidos (cozinhas, banheiros, áreas de serviço, etc.), impregnadas com um hidrofugante. Essas chapas têm cor verde, diferenciando-se assim das comuns.

Conforto acústico - Uma parede drywall apresenta desempenho acústico superior ao de uma parede de tijolos maciços de mesma espessura. Se tiver isolamento com lã mineral, seu desempenho será superior a qualquer tipo equivalente de paredes de alvenaria (tijolos, blocos cerâmicos, blocos de silício-calcário e de concreto comum ou celular).

Resistência ao fogo - O gesso proporciona elevada proteção contra incêndios. Por isso, é recomendado o revestimento com chapas para drywall de vigas, colunas, pilares e dutos elétricos de ventilação. Uma parede drywall, dependendo de sua configuração, podem ter resistência ao fogo de até 240 minutos.

Rápida execução - A simplicidade de execução é um dos grandes diferenciais do sistema. Uma parede pode ser instalada em muito menos tempo (apenas algumas horas) do que uma parede executada em sistemas convencionais.

Execução simplificada de instalações elétricas e hidráulicas - Ao contrário do que ocorre com a construção em alvenaria convencional, não é necessário quebrar paredes para a execução de reparos ou ampliações em redes elétricas ou hidráulicas. No caso de vazamento, por exemplo, basta recortar a chapa de gesso e, após o reparo, recompor o chapeamento.

Qualidade de acabamento - As paredes, os revestimentos e os tetos apresentam nivelamento superficial, o que permite que, imediatamente após a sua instalação, recebam pintura ou outro tipo de acabamento.

Ausência de resíduos e desperdícios - A construção é mais limpa, reduzindo drasticamente o entulho. A isso ainda se soma a menor necessidade de movimentação de materiais dentro da obra. E o entulho gerado é totalmente reciclável.

Todo esse conjunto de vantagens ainda contribui para tornar as obras mais econômicas.

Para o construtor e empreendedor:

? Redução do volume de material transportado vertical e horizontalmente na obra;
? Facilidade nas instalações evitando quebras em função dos vazios;
? Mínimo desperdício e retrabalho;
? Flexibilidade nos lay-outs;
? Redução de mão-de-obra;
? Menor espessura com ganho de área útil;
? Redução de peso tornando a construção mais leve;
? Redução no cronograma e dos custos financeiros da obra.

Para o consumidor final:

? Possibilidade de reforma em poucas horas sem movimentação de grandes volumes de materiais e mão-de-obra;
? Flexibilidade na definição do lay-out;
? Facilidade na manutenção nas instalações hidráulicas, elétricas e repintura;
? Melhor desempenho acústico quando comparado com os sistemas tradicionais;
? Soluções para fixação de qualquer tipo de objeto nas paredes e forros.

imagens/drywall/alvenaria.png


Parede DRYWALL

A parede drywall é constituída por uma estrutura de perfis de aço galvanizado na qual são parafusadas, em ambos os lados, chapas de gesso para drywall.

A forma de montagem e os componentes utilizados permitem que a parede seja configurada para atender a diferentes níveis de desempenho, de acordo com as exigências ou necessidades de cada ambiente em termos mecânicos, acústicos, térmicos e de comportamento frente ao fogo.

Para isso, deve-se especificar:

? a espessura dos perfis estruturais (48, 70 ou 90 mm);
? o espaçamento entre os perfis verticais ou montantes (400 ou 600 mm, em paredes retas; em paredes curvas, o espaçamento é menor, variando em função do raio de curvatura);
? se a estrutura é com montantes simples ou duplos e se estes são ligados ou separados;
o tipo de chapa (Standard = ST; Resistente à Umidade = RU; ou Resistente ao Fogo = RF),
? a quantidade de chapas fixadas de cada lado (uma, duas ou três); e
? o uso ou não de lã mineral ou de vidro no interior da parede.

Observações:

Em paredes resistentes ao fogo, especificadas para resistir 60 minutos ou mais à ação das chamas, recomenda-se a fixação, de ambos os lados, de chapas RF com 15 mm de espessura.
Em paredes com exigência de isolamento sonoro, deve-se aplicar a banda acústica nos perfis estruturais em contato com o perímetro.

TIPO DE PLACAS ANTI FOGO E ÁREAS ÚMIDAS:

imagens/drywall/placas.jpg


O Que é Gesso Acartonado?

As placas de gesso acartonado, são compostas por um miolo de gesso e aditivos, envolto por cartão especial. A soma destes elementos, resistentes a esforços de compressão, o gesso, e tração, o cartão, resultam em uma superfície de revestimento ideal para acabamento, a qual pode-se pregar, aparafusar, serrar e trabalhar para confecção de infinitas formas, inclusive superfícies curvas.

As placas podem ter diferentes espessuras, larguras, comprimento e 3 tipos, para finalidades diferentes.

imagens/drywall/gesso_acartonado.png


Estrutura interna das paredes:

imagens/drywall/estrutura_interna.jpg


imagens/drywall/estrutura_interna_2.jpg


Paredes com placas cimentícias para áreas externas:

imagens/drywall/placas_cimenticias.jpg


ARTIGO


Sistema drywall atende à Norma de Desempenho

Autor:Eng. Luiz Antonio Martins Filho

22/09/2010

A tecnologia construtiva drywall cumpre todos os requisitos de acústica, resistência mecânica e comportamento ao fogo expressos na Norma de Desempenho de Edificações (ABNT NBR 15575), em vigor desde 12 de maio. Essa norma traz um avanço: determina os índices de desempenho mínimo, intermediário e superior dos sistemas construtivos e seus componentes ao longo de sua vida útil, enquanto as normas anteriores apenas prescreviam as características de cada material. Esse novo conceito coloca o drywall em vantagem, ?devido à sua modernidade?, afirma o Eng. Luiz Antonio Martins Filho, gerente executivo da Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall.

Martins explica que o drywall foi criado há mais de um século nos Estados Unidos e passou a ser utilizado regularmente há mais de 80 anos na Europa: ?Com isso, estava plenamente desenvolvido em termos tecnológicos ao chegar ao Brasil, ainda na década de 1970, e principalmente a partir de meados dos anos 1990, quando teve seu uso intensificado no país. Apenas foi necessário adaptá-lo à nossa realidade por meio da elaboração de normas técnicas e ensaios locais, processo já concluído com êxito?. E completa: ?No Brasil, o drywall é o único sistema construtivo para vedações internas (paredes, forros e revestimentos) totalmente embasado em normas técnicas, o que o diferencia das demais tecnologias empregadas com a mesma finalidade?.

Conformidade - O comportamento do sistema drywall em relação aos diferentes quesitos da Norma de Desempenho é explicado pelo consultor técnico da Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall, Carlos Roberto de Luca, que esclarece: ?Para que os desempenhos especificados sejam alcançados, deve ser obedecida a Norma de Projeto e Montagem desse sistema (ABNT NBR 15758), que oferece todas as orientações para a correta aplicação da tecnologia drywall em várias situações?. Alguns exemplos são apresentados a seguir.

Segurança estrutural - De acordo com ensaios realizados pelo IPT ? Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo, todas as paredes drywall especificadas na NBR 15758 (desde a mais simples, mostrada na figura 1, com 73 mm de espessura, composta por estrutura com perfis de 48 mm de largura e uma chapa para drywall com 12,5 mm de cada lado) atendem a Norma de Desempenho no que diz respeito a: estabilidade e resistência estrutural; deslocamento e fissuração; solicitação de cargas provenientes de peças suspensas; impacto de corpo mole; impacto de corpo duro; e ações transmitidas por impactos nas portas.

Comportamento ao fogo - O Corpo de Bombeiros estabelece níveis de resistência ao fogo em 30, 60, 90 ou 120 minutos, dependendo do tipo de edifício e da utilização de cada espaço interno. Uma parede com 73 mm de espessura, como a mostrada na figura 1, se enquadra na categoria CF 30 (ou seja, corta-fogo 30 minutos). Já uma parede como a mostrada na figura 2 está na categoria CF 60 (corta-fogo 60 minutos). Essas duas paredes atendem a praticamente a totalidade das paredes residenciais. Paredes com resistência a 120 minutos, como a mostrada na figura 4, são montadas com estrutura de 70 mm e duas chapas resistentes ao fogo (com 15 mm de espessura) de cada lado.



Drywall: solução para reformas e construções
Com preço mais acessível, o sistema apresenta crescimento no mercado brasileiro


As reformas internas vêm sendo tratadas de maneira diferente nos últimos anos. O longo prazo e o desconforto ocasionado durante as obras de alvenaria são solucionados com a tecnologia Drywall, um sistema de paredes e forros, constituído de uma estrutura leve em perfis de aço galvanizado formado por guias e montantes, sobre os quais são fixadas placas de gesso acartonado, em uma ou mais camadas, gerando uma superfície apta a receber o acabamento final: pintura, papel de parede, cerâmica, pastilhas. Apenas há uma década no mercado brasileiro, a procura pelo sistema drywall está crescendo em função da praticidade de instalação e da redução do preço do material. “Hoje o drywall é uma realidade. Quando falamos em reformas internas, a recomendação dos profissionais é de usar o drywall, que é utilizado há mais de 50 anos na Europa”, explica o diretor da Casa do Gesso Wall Center, Astolpho Macedo Souza Neto, que distribui o sistema Drywall Lafarge Gypsum, empresa francesa líder mundial em materiais de construção, em lojas em Curitiba, Londrina e Florianópolis. O diretor ressalta que o sistema recebe o mesmo tratamento de acabamento de alvenaria convencional. Entretanto, por se tratar de uma construção seca, o sistema drywall não gera perdas e o desconforto da alvenaria convencional. Outra vantagem é que a facilidade de instalação reduz o tempo de execução da obra e os custos de mão-de-obra. Chapas especiais Para Souza Neto, o grande sucesso do sistema drywall está relacionado à possibilidade de permitir a realização de todos os detalhes arquitetônicos. Nos ambientes que recebem muita umidade, como banheiro, área de serviço e cozinha, a tecnologia drywall possui chapas próprias para evitar a umidade. Apesar de não propagar chama, o drywall oferece chapas específicas para combate a incêndio.

Vantagens do Drywall:
* Melhora significativa da performance termo acústica com a incorporação de Lã de Rocha ou Lã de Vidro, quando necessário. * As paredes podem ter qualquer forma e podem receber qualquer tipo de acabamento; * Menor espessura das paredes proporciona ganho de área útil; * As paredes são muito leves, diminuindo a carga da estrutura, o que permite a utilização de estruturas mais esbeltas, com redução e supressão de alguns elementos, como vigas sob as paredes; * A facilidade de instalação reduz o tempo de execução da obra e os custos de mão-de-obra; * Evita perdas e o desconforto da alvenaria convencional por ser uma construção seca;

imagens/layout/retorno.png
ROCHER CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL A SECO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS